Oi, gente! Aqui é Aline Souza, doula e psicóloga. Tudo bom com vocês?


Hoje vim contar a história de Luiza, Liziane e Luís. Uma família linda que eu tive o prazer de conhecer. Logo de cara eu fiquei encantada com a forma como Liziane e Luís educavam a Luíza. Eu estava grávida de Cauê quando os conheci e ficava só observando, admirando e querendo ter uma relação com meu filho daquela forma.  Hoje ao saber da história deles, posso compreender melhor esse sentimento.

Prepare o lencinho que agora eu vou compartilhar com vocês a história de como a maternidade mudou a vida de Liziane.

Foto Acervo Pessoal de Liziane.

“Sempre gostei de criança, desde quando eu era uma e frequentava o jardim de infância. Lá minha brincadeira preferida era cuidar das crianças menores.

Mais tarde, escolhi a minha profissão: Odontopediatra. Fui cursar Odontologia já sabendo qual seria minha especialidade futura. Cada criança que é entregue a mim, atendo como um filho, buscando aliar a melhor técnica com o carinho que trago no meu coração.

Foto Acervo Pessoal de Liziane.

O desejo de SER mãe sempre me guiou, até que um certo dia, resolvi torná-lo concreto.

Não consegui no primeiro ano. Nem no segundo. No terceiro, quase. Tive uma gestação anembrionada. Toda minha felicidade foi curetada dias depois de ter invadido o meu coração. Foi um período de grande tristeza que terminou com outra descoberta, outra gestação, desta vez com bebê. Este foi meu primeiro aprendizado como MÃE: o meu tempo é diferente do de Deus!

Tive uma gestação livre de qualquer intercorrência. Continuei frequentando a academia, praticando corrida de rua (até o 6o mês) e trabalhando na Clínica de Bebês da prefeitura da cidade vizinha e no meu consultório até o dia em que ela nasceu. LUIZA!

Lembro-me da sensação de dar à luz num parto normal, realizado por meu marido! Do nosso primeiro vis a vis, do primeiro toque no seu rosto, mãozinha, do seu cheirinho… Tão logo saímos da sala de parto, peguei-a e coloquei no meu peito. E ali ela sugou como se fôssemos velhas conhecidas. E ali ficamos, mãe e filha, num momento mágico e sublime!

Assim como a gestação, o bebê foi muito tranquilo. Assim como o bebê, a criança é muito tranquila. Cultivamos uma relação de amizade e parceria. Juntas participamos de provas de corrida de rua, vamos à missa (ela é coroinha), criamos e desenvolvemos posts e vídeos para divulgação da saúde bucal das crianças nas mídias sociais.

                         

Foto Acervo Pessoal de Liziane.

Minha mãe, minha grande conselheira, faleceu 4 anos antes de eu me tornar mãe. Com o nascimento da Luiza, eu ganhei uma nova conselheira. Dia após dia ela me ensina de maneira natural a rever e mudar paradigmas. Apesar de ter apenas 8 anos, apresenta uma maturidade surpreendente.

Não tenho ideias, planos e projetos para desenvolver. Estou trabalhando e realizando todos, graças a seu incentivo constante! Ainda na madrugada de hoje, dia que estou escrevendo este texto, chegamos às 4 horas da madrugada de uma viagem onde fui fazer um novo curso. Eu com ela. Ela comigo. Apoiando. Incentivando.

Hoje, como MÃE, descobri o sentimento verdadeiro que sempre tive pelas crianças. Não é gostar. É simplesmente AMAR. Por isso, poderia reescrever este texto, mudando já as primeiras palavras: Sempre amei crianças…

Obrigada Deus, por eu respirar crianças, em casa, no meu trabalho, na minha vida, no meu coração!”

Gostaram? Querem conhecer mais sobre o trabalho de Liziane e da dentista mirim Luiza. Acompanhem a página Liziane Yokomizo Odontopediatria.

 Deixa também seu comentário aqui ou compartilha conosco a sua história.

Para mais informações sobre gestação, parto, pós-parto e os aspectos psicológicos envolvidos nesse processo acompanhem minha página no facebook Psicóloga e Doula Aline Souza e no instagram @psidoulaalinesouza.

Obrigada pela leitura e aguardem os próximos relatos.

Beijos.

Aline Souza.