Oi, gente! Aqui é Aline Souza, doula e psicóloga. Tudo bom com vocês?

Como combinamos, na ultima segunda do mês, contaremos a história de uma mulher e de como a maternidade mudou a sua vida. Hoje vim contar a história de Camila Barreto, de Francisco, seu filho e Davi, seu esposo.


 

Camila é psicóloga escolar e utiliza como base para seus trabalhos os modelos educacionais de Waldorf[1], Wallon[2] e Montessoriano[3]. Conheci na faculdade de psicologia, onde ela foi monitora de uma disciplina que cursei e reencontrei esse ano quando descobri que ela estava também trabalhando com o serviço de cerimonial de festas. Ao conversar com ela e Davi sobre a proposta da Bem querer festas afetivas, fui percebendo que tínhamos muito em comum.

Da esquerda para direita: Davi, Francisco e Camila.

Ela contou que sempre quis fazer um trabalho como esse, mas tinha medo e faltava coragem para coloca-lo em prática, pois faltava também uma parceria que vislumbrasse do mesmo jeito essa proposta. Foi com a chegada de Francisco que ela percebeu que tinha força para realizar esse sonho e muito mais.

Francisco veio me dar força, veio me mostrar que eu posso muito mais do que imagino. Tanto a mim quanto a Davi. E ai foi quando nós começamos a amadurecer a ideia.  Nós sempre apreciamos

Bem Querer Festas Afetivas. Foto: Acervo Pessoal do Bem Querer.

o simples, o mais natural, o contato com tudo que tivesse história, sentindo, identidade! E aí foi quando começamos a planejar o aniversário do nosso menino, mas bem diferente das propostas de príncipes e princesas. Eu nunca disse que Francisco é meu príncipe, então como ele é livre, que a proposta seja essa liberdade. Foi assim que surgiu e batizamos como a Bem querer festas afetivas. Ela foi batizada no aniversário de Francisco. Ela já existia em nossos corações, de forma individual. O nascimento de Francisco veio dar força a Bem querer.” – contou Camila explicando como o nascimento de seu filho mudou a vida do casal e deu incentivo para investir na proposta de celebração quando organizaram o primeiro aniversário dele.

Camila, psicóloga e Davi, administrador, são um casal que acreditam no poder do afeto como fonte de inspiração para celebrar momentos com a família e amigos.

 

Bem Querer Festas Afetivas. Foto: Acervo Pessoal do Bem Querer.

A Bem querer festas afetivas é uma proposta de celebrar a vida com afeto! Prezamos pela identidade do aniversariante e a participação da família e amigos em um ambiente que propicie o diálogo, carinho, alegria… Sempre de forma sadia e prazerosa!”.

Ah, gente!! Lindo né? Eles são uns fofos. Foi um prazer reencontrá-la, conhecer a Bem querer festas afetivas e ouvir um pouquinho da história dessa família querida.

E vocês, gostaram também? Deixa seu comentário!!! Quer nos contar a sua história? Escreve aqui que nós compartilhamos.

Para mais informações sobre gestação, parto, pós-parto e os aspectos psicológicos envolvidos nesse processo acompanhem minha página no facebook Doula Aline Souza e no instagram @doulaalinesouza.

Obrigada pela leitura e aguardem os próximos relatos.

Beijos.

Aline Souza.

 


[1] Acredita que o aprendizado deve andar juntamente com atividades corporais e artesanais, para assim, trabalhar o desenvolvimento físico, social e individual da criança de forma conjunta.

[2] A teoria pedagógica de Wallon parte do pressuposto de que o desenvolvimento intelectual das crianças vai muito além do cérebro e de sua capacidade cognitiva. O modelo educacional acredita que a escola deve proporcionar uma formação integral (intelectual, afetiva e social).

[3]  A linha montessoriana foi uma das primeiras a inserir questões afetivas na educação. Acredita que a concentração e o desenvolvimento infantil acontecem através da manipulação de objetos. Na sala de aula, tudo deve estar à altura das mãos das crianças e o professor é considerado um guia para o aprendizado.